LABORATÓRIO

Câmeras para uso em laboratório.

O olho humano é uma parte incrível da evolução mas infelizmente é capaz de processar imagens no máximo a uma frequência entre 30 a 50 imagens por segundo. Uma câmera digital de alta velocidade pode gravar até vários milhares de quadros por segundo, e assim permitir que um pesquisador tenha acesso a informações que normalmente não são vistas a olho nu.

Análise de Movimento

Câmeras de alta velocidade são uma poderosa ferramenta que permite aos usuários visualizar e analisar um experimento com muito mais detalhes do que é possível com uma câmera tradicional. Um exemplo interessante disso acontece durante a filmagem de um beija-flor. Ao contrário de um pássaro normal, que movimenta as asas de para cima e para baixo, um beija-flor flaps suas asas em um padrão de movimento que imita um oito. Através do uso de câmeras de alta velocidade, descobriu-se que esse padrão de voô especial é a razão pela qual um beija-flor têm a capacidade única de pairar, ao contrário de outros pássaros. Com uma câmera de alta velocidade, há também a capacidade de estudar reações, rastrear partículas, caracterizar fenômenos e medir ângulos e velocidades dentro de um experimento.

Flexibilidade

 

Em uma câmera Phantom você pode mudar a resolução vertical e horizontal pixel a pixel mudando a frequência do equipamento. Essa flexibilidade permite que uma câmera seja usada para microfluidics durante um teste e análise de spray em outro.


Uma mesma câmera pode ir de uma frequencia de centenas até milhares de frames por segundo variando a resolução da imagem adquirida.

Além disso as Phantom são conhecidas pelas configurações com muita memoria interna, o que permite mais tempo de gravação mesmo em ultra alta velocidade.

No exemplo usamos uma câmera de 7Gpx/s, ou seja capaz de gravar cerca de 8.000 fps em 1280x720, gravar uma cena em mais de 80.000 fps com resolução reduzida.